A Caixa Econômica Federal tem atualmente um dos melhores financiamentos imobiliários, com algumas vantagens em relação a outros bancos, como ter a menor taxa de juros do país. Mesmo que sua aprovação, algumas vezes, seja demorada, ainda compensa apresentar uma proposta.

Existem algumas regras do financiamento da Caixa a serem seguidas. Uma delas é a realização de análise de crédito para comprovação das condições de pagamento das parcelas do financiamento imobiliário requisitado. Essa avaliação é feita antes da liberação do dinheiro, e caso não seja comprovada fonte de renda, a proposta é reprovada.

Entretanto, no início do ano a Caixa realizou uma mudança nas regras já existentes, com a finalidade de aquecer o mercado imobiliário reduzindo juros e facilitando o financiamento de imóveis. Para conhecer as novas regras do financiamento da Caixa Econômica Federal, continue conosco.

O que é o financiamento de imóvel

Financiar um imóvel nada mais é que utilizar um empréstimo para realizar a compra de sua casa/apartamento. O banco fará o pagamento do valor à vista para o proprietário, e a pessoa que realizou o financiamento paga esse empréstimo ao banco em duas etapas: à vista (entrada), e o valor restante em parcelas.

Por essa razão, o banco cobrará uma porcentagem (juros) sobre o valor emprestado. Apesar de existirem os juros, o financiamento é cada dia mais procurado para realizar o sonho de sair do aluguel e ter a casa própria. A Caixa apresenta os melhores financiamentos, oferecendo prazo de até 35 anos para quitar a dívida.

Formas de financiamento

Existem três maneiras de realizar um financiamento: tabela Price, SAC e SACRE. Na tabela Price, a mais utilizada no mundo, as prestações possuem valor único em todo o período de pagamento, são chamadas parcelas com taxa fixa.

No caso do Sistema de Amortização Constante (SAC), assim como seu nome explica, acontece a amortização da dívida. Dessa maneira, conforme o valor vai sendo quitado, os juros são calculados sobre o saldo devedor, proporcionando a diminuição do valor (dos juros) a ser pago.

O Sistema de Amortização Crescente (SACRE) é o financiamento mais utilizado no Brasil. Trata-se de uma mistura do SAC com a tabela Price. Assim, os valores das prestações aumentam durante um determinado período, e quando chegam ao seu ponto máximo, começam a diminuir até o pagamento total da dívida.

Novas regras do financiamento da caixa: linha pró-cotista

A linha pró-cotista, encerrada em junho de 2017, era a que cobria menores taxas depois do Minha Casa Minha Vida (MCMV), com juros entre 7,85% a 8,85% ao ano. De acordo com as novas regras do financiamento, essa linha de empréstimo voltou a ser realizada em janeiro de 2018.

O retorno da pró-cotista foi para atender os clientes que se enquadram nos critérios definidos pelo Conselho Curador do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). A Caixa disponibilizou R$ 4 bilhões para este ano, R$ 2,5 bilhões a menos que no ano de 2017.

Reabertura de crédito com recursos do FGTS

Com a volta da linha pró-cotista, destinada aos trabalhadores com conta no FGTS, é possível se candidatar para a obter créditos com esses recursos. Para se ajustar à modalidade, é preciso comprovar 36 meses (no mínimo) de trabalho sob o regime do FGTS, ou saldo de 10% (no mínimo) do valor da avaliação do imóvel em uma conta vinculada.

Também é necessário constatar não ser dono de imóvel, e não possuir financiamento no Sistema Financeiro de Habitação (SFH). Além da Caixa, o único banco a oferecer a linha de financiamento com recursos do FGTS, é o Banco do Brasil.

Reajuste dos limites de financiamento

Outra nova regra do financiamento é a mudança no limite de cota do imóvel usado a ser financiado. Antes do reajuste, o valor era de 50%, após a mudança nas regras, o aumento foi para 70% do valor da unidade. Quanto ao imóvel novo, seu limite para financiamento continua em 80%.

Lembrando que essas novas condições não se aplicam para quem havia contraído o empréstimo antes da apresentação das novas regras. Esse aumento no teto vale para todas as variedades de financiamento, incluindo a pró-cotista, e a MCMV.

Também é válido para contratos pelo SAC, em que o valor das parcelas diminui ao longo do período, como vimos acima. Esse reajuste consequentemente diminuiu a exigência da entrada para o financiamento de 50% para 30% do valor do imóvel.

Redução nos juros de imóveis do SFH

A caixa reduziu também os juros mínimos cobrados para imóveis que se enquadram no Sistema Financeiro de Habitação. Essa redução foi de 10,25% para 9% ao ano. O SFH financia imóveis nos estados do Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais de até 950 mil reais, e nos demais estados brasileiros, de até 800 mil reais. Em imóveis que se enquadram no Sistema Financeiro Imobiliário (com valores acima dos limites do SFH), a redução na taxa foi de 11,25% para 10%.

Documentos necessários para realizar o financiamento

A documentação necessária pode variar pelo tipo de financiamento a ser feito: por carta de crédito SBPE (sistema brasileiro de poupança e empréstimo) e carta de crédito FGTS. Em ambas, a documentação vai de acordo com o tipo de solicitante. Você pode acompanhar todos os documentos necessários para realizar um financiamento entrando no site da Caixa.

Simulação de financiamento habitacional

É possível saber qual o valor do financiamento você pode realizar antes de definir o valor do imóvel, por meio de um simulador disponibilizado pela Caixa. É realizado o cálculo do valor máximo de financiamento que o cliente pode ter, junto com o valor máximo de prestações que pode assumir de acordo com a sua renda.

Nele, você preenche campos como: pessoa física ou jurídica, o tipo do financiamento a ser feito (residencial ou comercial), categoria a qual o imóvel se enquadra (novo, usado, terreno, reforma, construção), o valor aproximado e a localização.

O financiamento é um dos melhores meios para acelerar o processo de compra da casa própria e fim do aluguel. Você pôde conhecer mais sobre esse benefício, as maneiras como ele pode ser realizado, e as novas regras do financiamento da Caixa, o banco com mais vantagens e menores taxas para o seu empréstimo.

Você gostou deste artigo? Quer ficar por dentro de conteúdos exclusivos e novidades? Então, siga-nos nas redes sociais! Estamos no Facebook e no Youtube.