A região metropolitana é um grupo de diferentes cidades próximas e ligadas umas às outras. Geralmente, elas são projetadas em torno de uma metrópole, ou seja, um município central e mais desenvolvido.

Um exemplo dessa realidade é a região de Grande Porto Alegre, que apresenta a cidade de Porto Alegre em conjunto com mais trinta e três cidades vizinhas. Esse território é o mais urbanizado, populoso e rico do Estado do Rio Grande do Sul.

A maioria das pessoas busca por locais bem estruturados para conseguir obter uma boa qualidade de vida. Dessa forma, a região metropolitana de Porto Alegre é uma das mais procuradas para morar.

Nessa perspectiva, preparamos este post para que você saiba quais são os benefícios de comprar um imóvel na região metropolitana de Porto Alegre. Continue a leitura e confira!

1. Proximidade da capital de Porto Alegre

Nos últimos anos, as regiões metropolitanas cresceram mais do que as próprias capitais. Contudo, o alto número de moradores está deixando os grandes centros urbanos desconfortáveis. Os locais centrais possuem inúmeras opções, como empregos, diversões, comércios, bancos, hospitais etc.

Acessar facilmente esses locais é, sem dúvida, muito cômodo para todas as pessoas, mas nem sempre residir próximo deles é uma vantagem. Por isso, por muito tempo, foram comuns as mudanças para os grandes centros. Entretanto, atualmente, a população prefere morar na região metropolitana, ou seja, nas cidades vizinhas da metrópole, e se deslocar até a capital do Rio Grande do Sul.

2. Tranquilidade

Uma das vantagens de morar fora da capital é a tranquilidade que as regiões metropolitanas oferecem. Como as cidades vizinhas são construídas depois dos grandes centros, geralmente, as falhas existentes nas capitais são corrigidas na programação das novas construções. Além disso, algumas delas ainda foram projetadas para  viabilizar certas atrações, como a cidade de Gramado que recebe visitantes o ano todo. 

Os municípios menores têm menos poluição, barulho, violência, prédios, engarrafamentos e uma quantidade menor de pessoas. Isso tudo influencia na qualidade de vida da sociedade, pois um ambiente mais planejado, certamente, é o melhor local para morar.

3. Custo de vida

Nas grandes cidades, o número de habitantes é muito alto e, consequentemente, a quantidade de consumidores é muito grande. Essa realidade intervém no preço dos produtos, uma vez que a procura, certamente, será elevada.

Já nos pequenos territórios – ao redor das capitais – a demanda do consumismo será sempre menor do que a das capitais. E como a procura por produtos é baixa, por conseguinte, os preços costumam ser bem mais baixos.

Por exemplo, a alimentação é uma das despesas que mais pesa no orçamento de uma família. A compra nos supermercados mais distantes da capital é mais barata que a da grande cidade. Portanto, é notório que o custo de vida de um município pequeno é inferior ao dos grandes núcleos urbanizados.

4. Preço dos imóveis

Muitas pessoas se programam para morar nas metrópoles, pois elas possuem grandes opções de empregabilidade. Muita gente pensa em crescer profissionalmente, porém a sua família sempre será prioridade.

Assim, quem pretende mudar em busca de uma melhor oportunidade de vida precisa pesquisar sobre algum imóvel que conforte a sua família. E o preço de casas e apartamentos na capital é, sem dúvida, maior do que o valor dos imóveis nos municípios vizinhos.

Desse modo, é mais viável a aquisição de uma casa na região metropolitana, pois as ofertas dos imóveis são muito menores. Por exemplo, é possível morar na cidade de Alvorada e trabalhar ou estudar em Porto Alegre.

Então, com o intuito de buscar a melhor moradia para a sua família, procure uma empresa de qualidade especialista no mercado imobiliário, para encontrar imóveis com boa localização por um preço mais baixo.

5. Maior segurança

Ninguém quer morar em locais violentos, principalmente quem vive com a família. E não é que nos grandes centros urbanos não exista segurança, mas o índice de criminalidade é bem maior nesses lugares do que nas regiões metropolitanas.

Obviamente, podem existir regiões metropolitanas mais violentas do que as capitais, mas, geralmente, as cidades ao redor dos centros urbanos possuem um índice de criminalidade menor, visto que o planejamento delas foi feito a partir dos problemas encontrados nas capitais.

Várias cidades vizinhas ainda mantêm aquela tradição de interior, onde a vizinhança se conhece, tem mais contato e aumenta a tranquilidade e o bem-estar dos moradores. Dessa forma, morar na região metropolitana é uma ótima escolha.

6. Boa estrutura

O pensamento de que são apenas as cidades polos que têm muitas opções ainda existe na maioria das pessoas. Contudo, essa ideia está totalmente equivocada, já que o acesso às comodidades é praticamente o mesmo que existe nas cidades grandes.

Como os grandes centros urbanos não tinham infraestrutura para comportar o grande número de habitantes, foram criados projetos para estender os territórios mediante a criação de novas cidades vizinhas e interligadas.

E esses novos territórios precisavam de uma melhor estrutura com o intuito de superar os contratempos existentes nas metrópoles. Assim, foram desenvolvidos muitos sistemas, ou seja, melhoraram as condições de pavimentação, transportes, comunicação, segurança, lazer etc.

7. Acesso facilitado

É possível morar em um local tranquilo e ao mesmo tempo ter acesso às facilidades da capital. Por exemplo, a região metropolitana de Porto Alegre é uma das alternativas que viabiliza essa realidade.

Muitos moradores do município de Alvorada (RS) vivem essa realidade. A distância entre Alvorada e Porto Alegre é de aproximadamente 21 quilômetros e há trabalhadores e estudantes que fazem esse deslocamento diariamente.

Apesar de ser um pouco cansativo, o ponto positivo é que, após o retorno para a casa, o descanso costuma ser melhor, pois a tranquilidade da região metropolitana de Porto Alegre é perfeita.

Ademais, esse deslocamento dura em torno de 30 minutos ainda sobra tempo para os demais compromissos do dia a dia, como ir ao médico, fazer compras no shopping e realizar pagamentos de contas, entre outras atividades.

Em resumo, é notório que a qualidade de vida das pequenas cidades é bem maior do que a dos grandes centros urbanos. Em outras palavras, residir na região metropolitana de Porto Alegre é bem mais viável, pois o interessado tem o mesmo acesso e ainda pode viver em um ambiente mais tranquilo.

Além disso, ainda é possível morar em um local muito mais planejado e com um custo de vida menor. Assim, morar próximo à capital do estado é uma boa alternativa.

Gostou deste post? Então deixe o seu comentário para que outras pessoas possam conhecer melhor este assunto!