Comprar o primeiro imóvel é a realização do sonho de sair do aluguel de muitos brasileiros. Algumas pessoas levam uma vida para dar esse passo, outros conseguem se organizar mais rapidamente e conquistam as chaves da casa própria já no começo da vida adulta.

Em meio a crise econômica e a instabilidade do país, muita gente acredita que comprar o primeiro imóvel é ainda mais difícil. No entanto, com planejamento e a mudança de alguns hábitos, isso não é impossível! 

Quer saber como? Então você está no lugar certo! Para lhe orientar nessa jornada, separamos dicas importantes. Confira!

Faça uma análise da renda familiar

Ao definir que é o momento certo para comprar o primeiro imóvel, você precisa entender como é composta a sua renda familiar. Desse modo, fica mais fácil para a instituição financeira traçar o seu perfil e liberar o financiamento.

Se você é casado ou vive em regime de união estável, por exemplo, ambas os conviventes podem comprovar renda para a liberação de um financiamento. Já no caso de autônomos ou empregados no regime CLT, é necessário dispor de documentos que comprovem os rendimentos mensais, além do extrato do último Imposto de Renda. 

Tenha um bom planejamento financeiro

É hora de fazer um balanço de tudo que você ganha e o que gasta no mês, para mensurar as suas condições em assumir o compromisso do pagamento de um financiamento. Para poupar mais, identifique quais são os gastos que podem ser cortados e as despesas fixas, e faça também uma reserva emergencial.

Uma boa ideia é montar uma planilha com todos os seus custos, perspectivas de gastos extras e poupança. Assim, é possível identificar os gargalos, onde o seu dinheiro está sendo gasto, e como você pode melhorar o seu orçamento no final do mês.

Pesquise a localização e as características do imóvel

Pare e pense: quais são as características do imóvel que você pretende adquirir? Qual a quantidade de quartos, banheiros, metragem total, com ou sem vaga de garagem, e opções de lazer que fazem a diferença.

Além disso, observe a localização, ela será importante para reduzir seus custos com transporte, por exemplo. Identifique também se a região que você procura tem fácil acesso ao comércio e outros serviços necessários.

Analise quais as melhores oportunidades de negócio

Ter paciência e pesquisar bastante é a chave do sucesso nesse momento. Por isso, selecione as regiões e os tipos de empreendimentos que você tem interesse, depois análise os imóveis com o melhor custo-benefício para fechar a compra.

Aproveite as ações de construtoras para vender imóveis na planta ou unidades que estão prontas para serem entregues. Para acabar com o estoque, assim como nas demais áreas do comércio, geralmente os valores ficam mais baixos como forma de atrair clientes. 

Entenda as possíveis formas de pagamento

A aquisição dos mais variados bens depende não somente da vontade do cliente, mas das suas condições financeiras para atingir o objetivo. Quando o assunto é a casa própria, isso não é diferente! Por isso, entenda quais são as opções de pagamentos viáveis para comprar um imóvel!

À vista

Essa é a forma de pagamento mais indicada, já que não compromete financeiramente o comprador no futuro. Se você tem o dinheiro total do imóvel, conseguirá mais facilmente negociar o preço, entre outros benefícios.

Financiado

Essa é a modalidade de pagamento mais utilizada pelos brasileiros que estão realizando o sonho da casa própria. É preciso estar atento às regras de mercado, condições do financiamento e as taxas de juros praticadas pela instituição bancária.

O financiamento é indicado para quem quer pegar as chaves da casa imediatamente e, ao longo do período de contrato, pagar pelas prestações do empréstimo concedido, acrescido da taxa de juros pela antecipação do valor.

Consórcio

Para quem está buscando um negócio a longo prazo, visto que não tem pressa para se mudar, essa pode ser uma excelente opção. O consórcio funciona como uma poupança coletiva, onde todos os integrantes do grupo têm o mesmo objetivo: a compra de imóvel com um determinado valor.

As prestações são fixas e o consorciado não paga juros, pois as taxas administrativas de contrato estão inseridas no valor das parcelas. Por esse motivo, o consórcio é menos oneroso para o bolso do cliente.

Defina a forma de pagamento para comprar o primeiro imóvel

Sabendo quais são as possíveis formas de pagamento, qual o orçamento familiar e o valor do imóvel que o cliente pretende adquirir, é possível definir qual a forma de pagamento ideal para essa negociação.

Busque uma instituição bancária que ofereça taxas de juros mais atrativas e que atenda às necessidades de prazo de pagamento, diante da sua disponibilidade financeira. Com a internet é possível acessar os sites dos bancos  principalmente o que você é correntista , para fazer diversas simulações de pagamento da dívida que poderá ser assumida, caso você opte por financiar o imóvel.

Por exemplo, se você quer adquirir sua propriedade no valor de R$ 100 mil, com uma entrada de R$ 15 mil para a construtora, você precisará financiar R$ 85 mil em até 30 anos, com taxas de juros que variam de 5% a 13%, de acordo com a sua faixa salarial e as condições do contrato.

Pondere os gastos extras

Tenha sempre em mente que os gastos com a compra de um imóvel não acabam com a entrega das chaves e assinatura do contrato de compra. Por isso, reserve também uma quantia para os valores referentes a taxas e impostos para fazer o registro do imóvel que, via de regra, são pagos à vista.

A decisão de comprar o primeiro imóvel deve ser cercada de muito planejamento e pesquisa, para evitar ser pego de surpresa ao longo desse processo. O importante é fazer uma boa escolha e saber ponderar as suas vontades em relação ao que cabe no seu bolso.

Gostou deste post com dicas sobre como comprar o primeiro imóvel? Então aproveite e curta a nossa página no Facebook. Assim, você estará sempre bem informado com as atualizações direto no seu feed de notícias.